terça-feira, 8 de novembro de 2016

Acabou em poesia

Sem intenção, sem noção, percepção? 
Mas no coração as letras ficam fiando
Tecendo em sílabas, palavras rimando 
Senti desafio, poesia chegando.

Sempre senti correr em meu peito
Sentimentos diversos rabiscado em versos
Palavras soltas ou conjuntos bem certos
Se juntam, se rimam cada qual do seu jeito.

Poemas ou poesia, parece tudo igual
Vem de dentro da gente como poço profundo
Arrancando, insistindo até do absurdo
Nem parece que é fácil, mais é bem natural

Encontro de letras Alfredus e Sérgio 
Ele é poço fecundo não falta inspiração 
Mas o tempo é dose, eterno vilão 
Driblando a madrugada, vem na raiva ou no tédio.

Aqui também escrevo em qualquer ocasião 
Gosto de poesia, de escritos e rascunho
Junto a fotografia e não falta conteúdo
Falta mesmo é bom tempo, esse vem na contra mão.

Amizade é assim, basta agir com atenção 
Juntar afinidade é poesia que mistura
Letra por letra o verso configura
Como numa troca de olhar gera forte emoção

Com esse encontro literário, incentivo em mim brotou 
Rabiscar, guardar na mente, ou até no próprio punho
Acabar em poesia, poema, eu me propunho 
Escrever parado ou caminhando, seja lá como for.

(Muaná, Marajó - 20. 10. 16)
Alfredus

Nenhum comentário:

Postar um comentário