terça-feira, 10 de novembro de 2015

À um poeta


Que saudoso poeta de instante eterno
Que a nós recobra fabulante terra
Um lugar de sonho, uma eterna poesia.
Poetas de ontem, nos traz a harmonia.

Ele sonhou e viu a Serra
Pôs tudo em poesia
Inspira também a nós
Que vive a nostalgia

artins da Maioridade
Serra de Imperatriz
Princesa de alto cume
Martins, Cidade feliz.

O povo de ti tem orgulho
De lá não querem sair
Se saem, é por necessidade
Voltar, nos deixa feliz.

Manhã de neblina e sol claro
Frio, povo simples na rua
Chão de pedras rajadas
As tardes e as passaradas.

Lagoa, cachoeiras, trilhas e caverna
Museu, arqueologia e tradição
História contada de ontem
Passando pra nova geração.

Palavras soltas que escrevo
Moções de ternura expresso
Cada lembrança que eu sinto
as rimas misturam-se nos versos.

De ti princesa serrana
Não quero jamais esquecer
Escrevo pra matar a saudade
E de novo, eternizar a lembrança

Alfredus - 10.11.2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário